Tutorial de fontes luminosas nas miniaturas

Ando há algum tempo para encontrar um tutorial destes, e finalmente o descubro. É o último capítulo numa série de vídeos de pintura desta miniatura especificamente, e se tiverem tempo vejam os anteriores.

Source lighting sempre foi algo que me assustou, principalmente porque quase sempre o resultado se assemelha a um encontro imediato com um balde de pó de giz, mas assim talvez me aventure em algo melhor.

Inspirações: mesa de jogo assombrosa

Nas minhas deambulações pela net encontrei uma mesa feita por uns belgas para o jogo Malifaux. Está muito boa, seguindo a temática steampunk/western/fantasia. Deixo algumas imagens só para verem o que se pode fazer com apenas 2 meses de trabalho. São coisas como estas que dão inspiração para continuar a trabalhar.

Se querem acompanhar a criação da mesma, os criadores fizeram um log nos fóruns de Malifaux, e está bastante completo. Vale a pena espreitar no seguinte LINK.

Para mais fotos da mesa, vejam a galeria aqui no Lead Adventure

P.S.: Reparo agora que este é o post 50! Nunca pensei fazer tanto, principalmente porque não faço posts por dá cá aquela palha, tento sempre pôr coisas interessantes e completas. Venham mais 50, 100, 200, etc.!

Impetus – sistema de regras

Não quero deixar Agosto acabar sem falar deste set de regras. Prometi há uns dias atrás que falava mais prolongadamente delas e aqui está uma review pouco aprofundada. Ainda não tenho o livro das regras completas, por isso vou-me focar apenas na versão Basic Impetus, disponível na net à borla no site oficial.

Este é um set de regras que se foca em recriações históricas, tendo lista de exércitos para praticamente todos os períodos. Não tem um grande nível de personalização, pois cada facção tem apenas 5 ou 6 unidades por onde se pode escolher, e algumas são obrigatórias de incluir na lista. Os exércitos são constituidos normalmente por cerca de 10 unidades, e estão bem equilibrados de acordo com o período histórico. Caso se façam misturas de linhas temporais, as coisas mudam de figura. O jogo pode ser jogado em várias escalas, e as regras contemplam a mudança de tamanho.

As unidades em termos de miniaturas são bases sempre com a mesma largura, e com profundidade de acordo com o tipo delas. Infantaria tem uma profundidade, cavalaria tem outra bem maior. Cada unidade no jogo simboliza literalmente uma unidade de exército. Não há um número fixo de minis a colocar por base, isso está à descrição do jogador.  O tamanho da mesa de jogo é o habitual para um jogo de minis (1.20m x 1.20m ou 1.20m x 1.80m para jogos maiores).

As regras são extremamente simplificadas. Cada unidade tem vários valores: movimento, combate, ímpeto e desmoralização. Tem também um campo para armas e/ou regras especiais. As medidas de movimento e alcance são genéricas de modo a acomodar-se a cada escala, por isso uma unidade com movimento de 5U pode andar 5cm em escalas pequenas ou 5 polegadas e escalas maiores. O combate é resolvido rolando o valor um número de dados igual ao valor de combate (aqui chamado VBU) pelos dois lados da batalha. Cada 6 ou cada dois 5s rolados equivalem a um sucesso. O adversário terá depois de rolar um dado e ter um resultado menor do que o seu próprio VBU menos o números de sucessos do adversário. Se falhar, perde VBU permanentemente igual à diferença que rolou. Isto pode gerar resultados catastróficos com valores baixos de VBU. Ímpeto serve para as cargas, quando uma unidade carrega tem um bónus ao seu VBU igual ao seu ímpeto para o primeiro combate, e uma unidade sem ímpeto não pode carregar. O valor de desmoralização tem a ver com condições de vitória, um exército perde quando se vir reduzido a pelo menos metade do seu valor total de desmoralização. Isto evita que o jogo se arraste para um massacre.

Existe um estado especial das unidades, que é desordenado. As unidades ficam desordenadas quando fazem algo que põem em risco a sua organização. O resultado é perderem 1 ponto de VBU até reordenarem (permanecerem um turno parados). Desordem não destrói uma unidade já com 1 de VBU. Alguns exemplos de condições que desordenam são mover-se e realinhar-se, ser-se carregado pelo flanco, perder uma batalha.

O jogo tem também generais, que são figuras que lideram o exército, mas cada jogador pode ter um exército com mais do que um general. Quando assim é, o jogador decide que general activar e então age com todas as unidades desse comando. A iniciativa no jogo é decidida através de cada jogador escolher um general a activar, rolando um dado e adicionando o modificador do general (que vai de +1 a +3). Caso na inicitiva um jogador rolar dois 1s, o general perde um de modificador, mas se rolar dois 6s, ganha um. Isto pode levar a valores acima de 3 ou abaixo de 1. Quem ganhar pode agir, quem perder pode tentar novamente a seguir. Quando se é o último, tem de se rolar para saber se se altera o valor do general ou não.

Foi a minha primeira vez a jogar algo histórico, e posso dizer que depois de me habituar às regras, fiquei muito satisfeito com elas. São simples e concisas, e bastante divertidas. Quem vem de outros jogos pode é notar que os combates são demasiado rápidos, que estão muito dependentes do roll de saves e pouco do combate em si. Isso é só ao princípio porque depois entranha-se. Gosto bastante que as listas simples estejam todas na net, e que sejam bastante completas. Pode-se jogar em praticamente qualquer período, e aquele em que eu estou interessado está bem documentado. Há imensa gente a jogar apenas as regras básicas, mas muitos já passaram à versão completa. Os criadores, uma equipa de jogadores italianos, tem uma presença muito activa na net e qualquer dúvida é sempre bem vinda por eles, tanto nos fóruns como por email directo. Eles prestam um serviço como nunca vi.

Para acabar, devo encorajar todos os interessados a fazerem um jogo. Imprimam as regras, cortem umas tiras de cartão, façam umas listas e rolem uns dados, não se vão arrepender. Caso sejam veteranos ou casuais ou mesmo nunca tenham jogado nada de minis, é sempre muito divertido e rápido. Os jogos que joguei tinham perto de 10 bases por jogador e nenhum demorou mais do que 45 minutos. Vou jogar mais algumas vezes, em princípio na minha nova mesa e depois logo vejo se compro o jogo completo. Até lá estou a pensar em fazer espartanos em 15mm… Por agora despeço-me que esta crítica já está grande demais!

Pesquisa por samurais

Sempre tive uma paixão pelo mundo oriental, em particular pelo Japão. Todo o ambiente feudal da sociedade nipónica me fascinou, tanto que fui ávido jogador de um jogo de cartas baseado nesse mesmo mundo, Legend of the Five Rings (L5R). Ora acontece que este jogo é uma licença que tem muitas vertentes, entre elas o já extinto jogo de miniaturas Clan Wars. Nunca tive a oportunidade de jogar ou ver essas minis, mas graças a um contacto via internet vou conseguir arranjar perto de 30 minis nos próximos tempos (yuppie!). Não posso deixar de frisar o quão raro é encontrar minis de L5R à venda. Abandonaram o mercado já há anos, mas sempre foram de uma qualidade superior às outras.

Por serem tão raras, e por achar que ainda não tenho minis suficientes, decidi procurar por empresas que façam minis de samurais ou mundo japonês feudal. Depois de algumas noites desperdiçadas, deparo-me com um fórum, o Lead Adventures. Não é um fórum comum, com os universos do costume. É mesmo muito pouco mainstream, falando principalmente de coisas que eu nunca tinha ouvido falar. Mas vale a pena, a comunidade parece ser fixe e tem montes de informação. Long story short, aqui ficam os links que de lá tirei para fabricantes de minis:

The Assault Group – britânico, minis em caixas de 4, portes à borla!
Dixon Miniatures – britânico, muitas minis e baratas, portes a 25% do valor da encomenda.
West Wind Productions – britânico, minis em caixas de 4, portes a 20%.
Curteys Miniatures – britânico, packs baratos de 4 ou 16, portes dependendo do peso da encomenda.
Museum Miniatures – britânico, menos samurais mas mais ashigarus e minis para dioramas, portes a 15%.
Black Orc Games – americano, bons preços em pacotes grandes, portes dependendo do peso e local.
Noble Knight Games – americano, grande stock de minis fora de produção, ainda tem L5R, portes de acordo com o peso.

Ainda nesta temática, encontrei alguns conjuntos de regras, aqui ficam mais links:

Warhammer Historical – a faceta pouco conhecida de Warhammer tem regras para exércitos nipónicos, e dentro de um mês sai uma versão nova do jogo.
Kashindan – jogo de escaramuças, focado à volta do heróis samurai e das suas tropas; estou a considerar comprar isto, as críticas são bastante positivas e é barato.
Kensei – set de regras baseadas no sistema de jogo de miniaturas de “Senhor dos Anéis”; podem encontrá-las na secção Downloads.

Por agora é tudo, actualizarei se encontrar mais alguma coisa. Se alguém tiver algum site nestas categorias, ponha-o em comentário que depois actualizo o post original.